Segurança de Barragens

A segurança de uma barragem deve ser considerada em todas as fases de um empreendimento. A CESP sempre foi reconhecida pela sua capacidade de operação e manutenção das estruturas de forma segura, prudente, conservadora, em acordo com as exigências regulatórias, e pioneira no padrão da indústria. Desde a elaboração e implantação do SOSEm (Sistema de Operação em Situação de Emergência) em 1977 e 1978, a CESP internalizou os primeiros conceitos de Segurança de Barragens.

Ao longo do tempo, a Companhia aperfeiçoou suas rotinas e procedimentos incrementando a confiabilidade dos empreendimentos e do seu monitoramento. Durante essa evolução, foram criadas áreas gerenciais específicas para Segurança de Barragens. Quando da criação da Lei 12.334/2010 e das regulamentações da ANEEL relacionadas a esta, muitas rotinas já faziam parte dos procedimentos da CESP. Sendo assim, a adaptação à lei englobou em sua maioria ajustes de nomenclatura das atividades já realizadas e acréscimo de algumas rotinas.

Atualmente, a CESP se utiliza de referências nacionais e internacionais no acompanhamento e operação de suas estruturas para garantir a observância de padrões de Segurança de Barragens. O monitoramento e acompanhamento das estruturas são realizados através de Inspeções Rotineiras Mensais, Inspeções Regulares Formais, e mais de 2.800 instrumentos de auscultação instalados nas estruturas de suas barragens (80% com leituras mensais). A partir desses monitoramentos são definidas atividades de manutenção e conservação das estruturas. Todo o acompanhamento e implementação das manutenções é realizado com equipe própria de engenheiros e técnicos especializados e com sólida formação em engenharia civil, hidrologia, segurança de barragens e áreas afins.

Periodicamente são realizadas as Revisões Periódicas de Segurança, com análise detalhada de todo o empreendimento, procedimentos, políticas e rotinas de trabalho. Esses trabalhos são realizados por empresa externa especializada, envolvendo realização de Inspeção Multidisciplinar, e diagnóstico do estado geral de segurança da barragem, levando-se em conta:

  • avanços tecnológicos;
  • atualizações hidrológicas;
  • critérios de projeto;
  • condições de uso e ocupação;
  • atualizações de legislação/benchmark.

Com esses procedimentos e uma forte cultura implantada, a CESP mantém o acompanhamento e monitoramento das estruturas como base sólida para suas políticas de Segurança de Barragens.

0

instrumentos de auscultação instalados

0

% com leituras mensais realizadas

Veja também